Voltar para a página inicial
   
       
 
 
 
 
Capítulo 1: Fala e Disartria (fala pastosa)

Sua fala pode estar levemente pastosa. Sua língua e lábios podem não ser capazes de movimentar-se com a mesma precisão para falar, com que você estava acostumado há anos. Comumente, as pessoas falam 3 a 4 sílabas por segundo. Quando uma pessoa apresenta disartria ou fala pastosa, a língua e os lábios não podem movimentar-se com o mesmo grau de velocidade, precisão ou força que antes.

É necessário abordar algumas situações básicas que surgem e algumas reações comuns. Quando alguém deve repetir freqüentemente duas ou três vezes o que está falando, existe uma tendência a se ficar nervoso e interromper a tentativa de falar. O falante freqüentemente diz "não importa" e desiste prematuramente. Se for suficientemente importante dizer e alguém quiser ouvir, faça um esforço adicional e use as técnicas (ver o anexo: "Técnicas para Melhorar a Comunicação Verbal").

Do mesmo modo, o ouvinte sente-se frustrado, por não compreender alguém. É da natureza humana querer evitar ferir os sentimentos da pessoa que você ama. Assim, em vez de pedir para alguém repetir a mesma frase pela terceira vez, com freqüência as pessoas "simulam" ter compreendido. Fazer de conta que compreendeu alguém pode aliviar as coisas temporariamente, mas a pessoa que emite a mensagem logo perceberá que você não compreendeu. Assim, está criado um novo problema. O falante sente que ninguém se importa suficientemente com o que ele tem a dizer, para fazer um esforço para descobrir.

Também existe a tendência a que as pessoas esperem que seus amados saibam automaticamente o que desejam. Mesmo para pessoas que estão juntas há 40 ou 50 anos, não é fácil "adivinhar" o que alguém está dizendo. É importante tornar compreensível o assunto e o ouvinte terá uma melhor chance de seguir o que a pessoa está falando.

O ouvinte pode pressupor inadvertidamente que pode "ler a mente de seu/sua parceiro/a". Com freqüência, segue-se uma rotina diária e o ouvinte pode presumir que o comentário está relacionado com a situação imediata. Entretanto, o ouvinte pode adivinhar errado. É importante obter um retorno do falante, para ter certeza de que sua mensagem foi recebida corretamente. Repetir a mensagem para o falante é uma forma de verificar a compreensão.

Todas as reações acima são bastante comuns. Com o encorajamento mútuo, talvez você e sua família possam contornar esses problemas comuns.

É importante que você tenha consciência desses fatores. Tome a dianteira e assuma a responsabilidade para si. Olhe para o rosto do ouvinte e ouça suas afirmações. Se você achar que pode ter sido mal compreendido, pergunte para o ouvinte. Use suas técnicas.

Peça um retorno a seu ouvinte. Ele pode dizer se você precisa falar mais alto, mais lentamente, etc. Ele também pode dizer quando você está falando de modo mais claro. É importante ouvir elogios, porque é difícil apresentar um problema de fala, depois de ter falado de modo claro durante anos. A mudança no modo de falar não acontece da noite para o dia e o elogio pode ser muito útil, para desenvolver novos hábitos.

Sua família pode ter um papel importante nesse programa. A parte mais importante na mudança de seu modo de falar é a capacidade de ouvir como soa sua fala. Você pode ter observado que você pode pronunciar a mesma palavra ou frase de dois modos diferentes e ter duas pronúncias muito diferentes. Uma pode ser muito mais fácil de compreender. Existe um intervalo em suas habilidades de fala que provavelmente você já notou. À noite ou quando você está cansado ou estressado, sua fala pode não ter o melhor desempenho. Essa flutuação é importante. Nosso objetivo é fazê-lo utilizar suas habilidades melhores, com capacidade de automonitorar-se, e mantê-lo nesse nível.

Ao ouvir-se, você provavelmente pode perceber a diferença entre sua melhor pronúncia de uma palavra e a pior. É mais difícil discernir a diferença entre a boa pronúncia e a pronúncia regular. Essa capacidade de ouvir-se e decidir que "posso ter uma pronúncia mais clara, se tentar de novo" é crucial para a comunicação.

Pode haver épocas em que, a despeito da automonitorização e a despeito das técnicas de compensação, sua fala não será suficientemente clara, para ser compreendida. Outros fatores, como estresse, cansaço e meios ruidosos, também podem contribuir para as dificuldades de fala. Podemos auxiliar nessa área, trabalhando os "sistemas de backup".

A nossa experiência com pacientes revelou muito claramente que a comunicação envolve muito mais do que a fala ou redação. A comunicação envolve a postura do corpo, suas expressões faciais e o contato ocular, assim como os gestos. Todos esses métodos podem ser usados, para transmitir informações. Dispomos de muitas estratégias referentes ao uso dos outros "canais de comunicação" para compartilhar.

Quando surgir uma dificuldade na fala, isso não significa que a comunicação cessa. À medida que você lidar com essa disartria, você desenvolverá seu próprio estilo pessoal de interagir com sua família, amigos e pessoas amadas. Minimizar as frustrações e maximizar suas capacidades é o papel do especialista em patologia da fala e linguagem.

Capítulo 2: Técnicas de Comunicação Verbal
 
 
 
 

Voltar

 
     
 
Site Tudo Sobre Ela
Copyright © 2001 - - ABrELA e IMG Content. Todos os direitos reservados.